Auditores fiscalizam equipamentos de emissão de cupom fiscal em Paranavaí



17/12/2011


 Auditores fiscalizam equipamentos de emissão de cupom fiscal em Paranavaí

 

Gilberto Favato explicou que a operação não teve um foco específico na área de atuação das empresas. Ele comentou que a operação tem a intenção de diminuir a sonegação fiscal e promover um comércio mais justo.

Os funcionários da Receita Estadual explicaram como funciona o ““Projeto Alerta Fiscal”.

 

Uma força tarefa de 21 auditores da Receita Estadu­al realizou ontem fiscalização em 40 empresas de Paranavaí. Cinco equipa­mentos de emissão de nota fiscal foram apreendidos com irregularidades e outras 120 notificações foram emitidas.

O maior problema encon­trado foi a falta de interliga­ção do Emissor de Cupom Fiscal com a máquina de car­tão de crédito.

A operação contou com auditores de Maringá e de Pa­ranavaí. O objetivo principal foi verificar as máquinas e uma delas foi apreendidas e encaminhada para perícia em Maringá. Outras duas tinham sinais de lacres rompidos.

A operação faz parte do “Projeto Alerta Fiscal”. O dele­gado regional da Receita Esta­dual, Claudine de Oliveira, afir­mou que essa primeira etapa do projeto foi feita com o apoio da força tarefa, mas a partir de ago­ra os fiscais de Paranavaí darão sequência na fiscalização.

O inspetor regional de fis­calização, Gilberto Favato, explicou que a operação não teve um foco específico na área de atuação das empresas. Ele comentou que a operação tem a intenção de diminuir a sonegação fiscal e promover um comércio mais justo.

“Não estamos trabalhando para aumentar a arrecadação, isso acaba sendo consequên­cia. Essa fiscalização deixa o comércio mais justo, afinal quem sonega tem condições de oferecer preços melhores porque não pagam os impos­tos”, falou Favato.

Esse trabalho deve atin­gir cidades da região de Pa­ranavaí. O chefe da agência de Paranavaí, Luiz Antonio Boregas, afirmou que as ins­peções não têm data certa para acontecer.

“Nos próximos dias ire­mos para as cidades da região levando essa fiscalização. Verificaremos a correta ma­nutenção e verificaremos a utilização correta dessas má­quinas. Com a diminuição da sonegação o Estado pode ofe­recer serviços de melhor qua­lidade”, explicou Boregas.

Fonte: Diário do Noroeste,  ANO LVII - EDIÇÃO Nº 16.084 de 16/12/2011.

Redação de: ROBSON FRACAROLI.




Escrituração Fiscal da Folha de Pagamento e das Obrigações Previdenciárias, Trabalhistas e Fiscais (
SPED Social vai mudar rotina dos departamentos de RH
Prorrogado prazo para utilização obrigatória de certificado digital no Conectividade Social
EXTINÇÃO DE 10% SOBRE MULTA FGTS


Mídia Marketing Direcionado - 2010
Setor de Programação